Tomate poderá voltar a ter elevação do preço em breve, alerta especialista

15/08/2013 – Em sua estreia como articulista da nova seção do NN, AGRO, NEGÓCIOS & PESSOAS, o especialista em Agronegócios André Sorio (foto) faz importante alerta sobre a possível elevação dos preços do tomate nos próximos meses, como ocorreu no 1º trimestre de 2013.

Leia a íntegra abaixo ou clique AQUI para conhecer a nova seção AGRO, NEGÓCIOS & PESSOAS.

(por André Sorio) Há poucos meses, o tomate tomou de assalto todos os noticiários, como um exemplo claro de que a inflação estava de volta e que o brasileiro estava pagando muito caro por sua comida.

Não lembro de nenhum órgão de comunicação – falado, escrito ou televisionado – que tenha se dado ao trabalho de fazer a análise de por que o preço do tomate havia chegado àquele nível de cerca de R$ 9 o kg – preço ao consumidor.

Os vegetais que são consumidos frescos – tomate, pepino, alface e muitos outros – são culturas altamente perecíveis, que têm um período de tempo curto entre serem colhidos, classificados, transportados, vendidos, armazenados em casa e consumidos. O leitor(a) sabe como dura pouco tempo na geladeira um pé de alface. Um tomate dura alguns dias a mais, desde que não seja comprado muito maduro. De qualquer maneira, estamos todas as semanas na feira ou no supermercado, em busca de alimentos recém-colhidos.

Por esta característica, o tomate tem que ser vendido rapidamente após a colheita, pois irá estragar em breve. Assim, o plantador de tomates não tem a opção de estocar sua produção esperando que o preço melhore. Quando ficou no ponto, o tomate precisa ser colhido e vendido ao preço do dia. Se o preço estiver baixo, o produtor tem que aceitar, tenha ou não prejuízo. A outra opção é jogar fora a produção e aí o prejuízo é maior ainda. Mas ele pode escolher NÂO PLANTAR novamente a cultura, trocando-a por outra que tenha melhor perspectiva de renda.

Há alguns meses, lá pelo final de 2012, o preço estava tão baixo, que vários plantadores tomaram a decisão de NÃO PLANTAR tomates. Como resultado, em abril de 2013, a crise do tomate estava instalada, pois faltou o produto no mercado.

Estamos em agosto de 2013, e recentemente vi no supermercado o tomate a R$ 1,50 o kg. Pelo que conheço do mecanismo de formação de preços no varejo, imagino que o plantador não esteja ganhando muito mais do que uns R$ 0,80 o kg. Pois garanto aos meus nobres leitores/minhas nobres leitoras que não falta muito para o tomate voltar às manchetes como uma ameaça à estabilidade econômica do país.

Boa leitura! Escreva para o NN e envie suas sugestões.

Compartilhe

  • Subscribe to our RSS feed
  • Share this post on Delicious
  • StumbleUpon this post
  • Share this post on Digg
  • Tweet about this post
  • Share this post on Mixx
  • Share this post on Technorati
  • Share this post on Facebook
  • Share this post on NewsVine
  • Share this post on Reddit
  • Share this post on Google
  • Share this post on LinkedIn
Não há comentários.

Comentários fechados.